Assine nossa newsletter

6 sinais que indicam que está na hora de trocar de caminhão


6 sinais que indicam que está na hora de trocar de caminhão

Trocar de caminhão é sempre uma decisão difícil para o caminhoneiro. Afinal, existem muitos pontos que devem ser considerados nesse momento. Além disso, é preciso se planejar financeira e emocionalmente para essa troca.

Contudo, não precisa ser assim. Como profissional da estrada, você deve tomar decisões de maneira racional, levando em conta os quesitos mais importantes para o seu trabalho e saúde. Ou seja, é necessário que você saiba o que é melhor para você e para o seu bolso.

Vale lembrar que a troca do caminhão por um modelo mais novo significa ter mais segurança na estrada, mais conforto e, principalmente, mais economia aliada a uma melhor performance, já que veículos modernos tendem a ser mais eficientes.

Sabendo da importância desse tema, a seguir listamos 6 sinais que indicam que está na hora de abandonar o velho companheiro de viagem e partir para um novo. Acompanhe!

Quais sinais indicam estar na hora de trocar de caminhão?

1. Manutenções frequentes

Um dos principais indicativos de que está na hora de trocar de caminhão é a necessidade frequente de realizar reparos. Como toda máquina, o caminhão, ainda que bem cuidado, se desgasta pelo uso. Com o passar dos anos e os muitos quilômetros rodados, chega um momento em que diferentes falhas começam a surgir no pesado, aumentando bastante os custos do motorista.

Dica: Tipos de caminhão para frete: qual é o ideal para sua carga?

Nessas horas, é preciso pensar em uma solução definitiva, como a troca. Insistir no uso do caminhão é dar margem para problemas na estrada, gastos extras com manutenções e muita dor de cabeça. Por isso, se está sofrendo com essa situação, talvez seja a hora de estudar uma troca.

2. Necessidade de novas tecnologias

Como você sabe, hoje o mercado de transportes está bastante sofisticado. A tecnologia já faz parte da rotina do caminhoneiro dentro e fora da cabine do caminhão. Assim, é preciso se atualizar para ser capaz de trabalhar nessa nova realidade.

Desse modo, outro indicativo de que pode ser a hora de trocar de caminhão é a necessidade por uma máquina mais moderna, que tenha sistemas de segurança mais eficientes, GPS, além de recursos voltados para a redução do consumo e emissão de poluentes.

Todas essas características afetam positivamente o seu dia a dia de trabalho, já que estará guiando um veículo mais eficiente, seguro e confortável — o que é muito importante para a sua qualidade de vida na estrada.

3. Mudanças no formato dos fretes

Quem é caminhoneiro sabe bem o quanto o mercado de frete mudou nos últimos anos. A demanda por veículos com características específicas cresceu. A depender da região, por exemplo, a oferta de fretes para um truck pode ser reduzida em relação a um bitrem.

Por isso, é preciso que você avalie também esse quesito. Se na sua região há uma oferta maior de um determinado tipo de frete, talvez seja vantajoso trocar de caminhão a fim de atender a esse tipo de demanda.

Em muitos casos, essa troca possibilita ao caminhoneiro lucrar mais ao fazer fretes mais caros, o que facilita o pagamento da parcela de um caminhão mais novo. Aqui, novamente, destacamos a importância de um planejamento para efetuar a troca.

Aprenda as melhores práticas para as manutenções do seu veículo e garanta o melhor funcionamento e economia! Clique no banner abaixo e confira.

Conheça as melhores práticas para a manutenção do seu veículo

4. Ruídos estranhos e persistentes

Você, mais do que ninguém, conhece cada som do seu caminhão. Sabe de tudo que está ou não funcionando corretamente. Por isso mesmo, sabe também que ruídos estranhos vindos do motor ou outras partes não são bons sinais.

Esse tipo de problema, apesar de muitas vezes serem algo simples, precisam ser verificados. No entanto, quando barulhos incomuns se tornam frequentes e, pior que isso, não são solucionados, pode ser um indicativo para a troca do caminhão.

Esses pequenos sinais antecipam falhas mais sérias na máquina, que poderão exigir mais tempo e dinheiro para que sejam reparadas. Assim sendo, o melhor mesmo é pensar na troca do veículo antes disso.

5. Baixo desempenho

Esse é um dos principais indicativos de que é hora de abandonar o caminhão antigo e investir em um mais novo. A queda de performance é um efeito do desgaste natural da máquina e pode prejudicar bastante a rotina de quem trabalha na estrada.

Essa situação, além de tornar as viagens mais demoradas, torna tudo muito incerto, já que é difícil prever quando chegará ao destino ou mesmo se um problema mais grave fará com que fique pelo meio do caminho.

Dica: Estabilidade financeira para caminhoneiros: como conseguir a sua?

Dito isso, se o seu caminhão já está com uma quilometragem elevada, com muitos anos de uso e tem apresentado um desempenho bem abaixo do normal, esse é um grande sinal de que é hora de trocar. Prolongar a troca, nesse caso, só fará com que você gaste mais com manutenções e combustível, sem contar a perda de produtividade. Pense bem!

6. Surgimento de boas oportunidades

Sabemos que um caminhão é uma ferramenta de trabalho de alto custo, seja de manutenção, seja de aquisição. Por esse motivo, nem sempre é simples fazer a troca de um dia para outro. Como dito, essa decisão precisa ser estudada e planejada.

Porém, se você já tem esse objetivo em mente e surgiu uma boa oportunidade de negócio, a hora é essa. Saber aproveitar as oportunidades pode gerar uma economia muito grande, além de possibilitar que você faça uma aquisição mais vantajosa.

A exemplo, imagine que uma concessionária está vendendo um caminhão com um desconto bastante elevado ou oferecendo uma condição de pagamento diferenciada, ou mesmo o governo está incentivando a renovação da frota com a redução dos juros. Aproveitar esses benefícios pode ajudar você a fazer uma troca ainda melhor.

Vai precisar de trocar de caminhão? Veja como se planejar

Depois de ter analisado esses seis sinais e percebido que realmente está na hora de trocar de caminhão, é preciso fazer isso com planejamento. Somente assim você conseguirá fazer o melhor negócio, adquirindo o modelo ideal e pagando menos por isso. Veja agora o que você precisa fazer!

Defina as suas necessidades

A troca de um caminhão deve seguir regras bem objetivas. Afinal de contas, ele é uma ferramenta de trabalho. Portanto, não se deixe levar por questões subjetivas, como acontece na troca de um carro ou motocicleta, por exemplo. Nestes casos, quesitos como design ou desempenho esportivo podem tentar justificar uma compra emocional. Mas, no caso do caminhão, isso não deve ser levado em consideração.

Dessa forma, coloque no papel os motivos que o levaram a considerar a troca do caminhão, como a capacidade de carga abaixo do necessário ou a cabine muito desconfortável para longas viagens, por exemplo. Isso facilitará a definição do modelo de caminhão e implemento mais adequado para você.

Dica: Como se preparar para viagens de longa distância? Confira 7 dicas

Apesar de ser um item extremamente importante, não se prenda apenas ao tipo de veículo que precisa, se é um VUC, um truck ou um cavalo mecânico. É importante considerar o uso que fará do veículo. Quem transita em regiões de serra, por exemplo, deve contar com um modelo com bom torque para vencer as ladeiras. Já quem passa por estradas esburacadas precisa de um caminhão mais robusto.

Pesquise os modelos disponíveis

Com as demandas bem definidas, fica mais fácil escolher o caminhão ideal. Também evita-se comprar um modelo mais barato, mas que não atende a todos os requisitos, ou um muito caro, com características que excedem o que precisa e acaba gerando gastos desnecessários

Para ajudar, analise os itens abaixo:

  • capacidade de carga ideal;
  • comprimento máximo desejável, tendo em vista os locais nos quais pretende circular;
  • desempenho necessário;
  • tamanho adequado da cabine;
  • quantidade de eixos necessários;
  • tipo de tração adequada;
  • acessórios e recursos tecnológicos necessários;
  • faixa de preço que está disposto a pagar.

Verifique também se é possível instalar os implementos de que precisa no modelo desejado, se terá que fazer alguma adaptação e qual o custo disso tudo.

Considere os custos de manutenção

Um erro muito cometido ao comprar um caminhão é deixar de analisar os gastos para mantê-lo em dia. Para não cair nessa armadilha também e acabar levando um modelo caro para manter, considere os custos de manutenção.

Atualmente, os fabricantes têm oferecido diversos planos de manutenção, englobando desde itens básicos, como troca de óleo e filtros, até a troca de todas as peças durante as revisões. O valor desses planos é calculado a partir de variáveis como o modelo de caminhão, o implemento usado, o tipo de operação empregada, a quilometragem rodada e o treinamento do motorista.

Dica: Guia de manutenção para caminhoneiros

A cobrança é feita mensalmente. Dessa forma, você tem uma previsão de quanto gastará enquanto mantiver o contrato com o fabricante. Além disso, mantém a garantia de fábrica e tem a certeza que utilizará apenas peças originais.

Assim, pense em quantos anos pretende ficar com o seu caminhão e na média de quilômetros rodados por ano. Com isso, verifique junto à concessionária quanto ficaria um plano de manutenção adequado à sua realidade.

Para completar, confira também como é o consumo de combustível, o custo do seguro total e do IPVA. Dessa forma, você terá uma noção bem próxima da realidade do quanto gastará com o novo caminhão.

Verifique as formas de pagamento

Por ser um alto investimento, a troca de caminhão pode ser realizada optando por diversas formas de pagamento. A mais vantajosa é sempre à vista, na qual se consegue maior desconto no valor do caminhão e não há pagamento de nenhuma taxa ou juros sobre o valor da operação.

No entanto, nem sempre isso é possível. Para esses casos, há o financiamento e o consórcio. Quanto ao financiamento, ele pode ser feito junto ao banco da montadora que produziu o caminhão que você está comprando ou junto à instituição financeira na qual seja cliente.

Além disso, existem os financiamentos com recursos do próprio banco e os que utilizam parcerias com o governo, no caso do Finame do BNDES, por exemplo. Quando o recurso é do banco, o processo costuma ser mais simples. Porém, as condições normalmente são melhores nas linhas que utilizam recursos do governo, mas são mais burocráticas. Isso precisa ser analisado por você no planejamento da troca do caminhão.

Dica: Checklist para manter a segurança no transporte de carga

Do outro lado está o consórcio, que tem tudo a ver com planejamento. Nele, você não troca de caminhão imediatamente após a contratação do plano. Para isso, é preciso ser contemplado, por sorteio ou por lance. Enquanto isso não acontece, vai pagando as parcelas. Ou seja, é para uma compra futura. No entanto, ao ser comparado a um financiamento, os custos são mais baixos.

Faça o seu planejamento financeiro

Após escolher o modelo de caminhão que vá atender às suas necessidades, com a melhor relação custo-benefício, e a forma que ele será pago, é preciso fazer seu planejamento financeiro. Isso é importante para que a troca do caminhão não gere um desequilíbrio nas suas contas.

Caso pretenda comprar o caminhão novo à vista, você precisa saber como conseguir a diferença de valor para concretizar o negócio. Por outro lado, se a aquisição for feita por financiamento ou consórcio, você precisa saber se conseguirá arcar com as parcelas sem comprometer seu orçamento. Portanto, de uma maneira ou de outra, precisará se organizar financeiramente.

O primeiro passo é saber o quanto vale o seu caminhão atual e o que pretende comprar, para encontrar a diferença. Para isso, o ideal é recorrer à Tabela Fipe. No entanto, essa tabela serve apenas de referência, pois é uma média de preço de diversos veículos do mesmo modelo à venda.

Assim, leve em consideração também o estado de conservação do seu caminhão, se a manutenção foi feita na concessionária e o valor do implemento instalado, se for vender junto. Uma alternativa para saber o valor do seu pesado é ir em lojas de seminovos para descobrir quanto pagariam por ele como entrada em um negócio.

Feito isso, é hora de se planejar financeiramente para a troca do caminhão. Para começar, passe a registrar todos os seus ganhos e despesas, mesmo as menores. Isso pode ser feito em um caderno, em uma planilha no computador ou utilizando aplicativos de celular desenvolvidos para isso.

Depois, separe e some os gastos por categorias, como alimentação, contas da casa, combustível, manutenção do caminhão, lazer, saúde, entre outras. Fazendo isso, você conseguirá visualizar para onde vai a maior parte do seu dinheiro, o que é possível economizar e o quanto é possível guardar todo mês.

Dessa forma, saberá se conseguirá bancar as parcelas do financiamento ou do consórcio ou se terá que economizar mais para fechar negócio. Se optar por guardar o dinheiro para comprar o caminhão à vista, descobrirá o tempo que precisará fazer isso até ter condições de realizar a troca.

Para ajudar no planejamento financeiro da troca de caminão, confira as melhores dicas para economizar combustível!

Caminhoneiro agregado ou autônomo: saiba a melhor opção para você

Por fim, trocar caminhão, apesar de não ser algo tão simples, em muitos casos se torna uma verdadeira necessidade. Como vimos, fatores como adoção de novas tecnologias, segurança e performance são bastante beneficiados com a troca por um caminhão mais novo. Além disso, trabalhar com uma máquina mais nova garante mais economia para você, mais oportunidades de fretes e, claro, evita muita dor de cabeça.

Então, gostou das nossas dicas? Tem algum outro sinal que não mencionamos e que você gostaria de compartilhar? Deixe o seu comentário em nossas redes sociais e contribua com outros motoristas!




Por
14/05/2019

A Rodojacto nasceu em 1969 e, atualmente, atua no segmento de transporte rodoviário de cargas, dividindo-o em duas áreas: a de carga comum e a de carga especial — mercadorias que excedem pesos e medidas.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!