Assine nossa newsletter

Qual é a diferença entre o frete CIF e frete FOB? Entenda!


Qual é a diferença entre o frete CIF e frete FOB? Entenda!

Frete CIF e frete FOB, qual é melhor? Escolher entre essas duas modalidades oferecidas pelas transportadoras é uma decisão que precisa ir além do valor cobrado por elas. Como a burocracia é grande no Brasil, é essencial garantir a qualidade e a competitividade. É por isso que a gestão de frete se tornou uma função cada vez mais estratégica no segmento de transportes.

São diversos os fatores a serem considerados, entre eles o prazo de entrega e a reputação do entregador. Saber de quem é a responsabilidade por esse serviço e quem vai pagar por ele é muito importante para compreender como os fretes funcionam.

Quer aprimorar seus conhecimentos sobre CIF e FOB? Então continue lendo este post e confira!

O que é frete CIF e quem paga por ele?

A sigla CIF vem do inglês Cost, Insurance and Freight (Custo, Seguro e Frete), que também é chamada de “frete pago na origem”. Essa categoria — bem como o transporte, seguro e custos operacionais — fica a cargo do fornecedor e/ou remetente da mercadoria. Ou seja, quem paga é o emitente.

O que é frete FOB e quem paga por ele?

Ao contrário do CIF, o FOB, significa Free on Board, ou “livre a bordo”. Nessa categoria, todas as medidas burocráticas de contratação e negociação são assumidos pelo consumidor, além dos valores do frete e do seguro. Ou seja, ele arca com os custos a partir do momento em que a mercadoria sai do fornecedor.

Dica: Checklist para manter a segurança no transporte de carga

Aqui, ao fazer o pedido, o comprador precisa informar quem realizará a retirada do produto comprado. Um exemplo é você, caminhoneiro autônomo.

Como os custos são especificados na NF-e?

CIF e FOB também fazem parte dos INCOTERMSTermos Internacionais de Comércio, em português. Trata-se de um conjunto de normas que regem e ajudam a coordenar as negociações comerciais.

CIF

Nessa modalidade, o preço do frete é incluído no valor dos produtos. Por isso, a guia repassada ao cliente é única. Recolhe-se o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que também é informado diretamente na nota fiscal (detalhando a quantia referente à entrega), ou coloca-se o valor separado em um campo indicado para esse fim.

FOB

Fica a cargo do comprador e, por esse motivo, não é adicionado no preço da mercadoria, tornando necessário especificar essa condição na nota fiscal. Nesse caso, o valor do FOB é incluso na base de impostos.

Independentemente da opção escolhida, ela é somada ao valor da NF e adicionada nas cobranças de diversos tributos, como PIS, COFINS, ICMS e IPI.

Qual frete escolher para o seu negócio?

Não existe uma regra. As duas modalidades têm seus prós e contras, e são aplicadas de acordo com a estratégia da empresa que contrata o transporte do seu caminhão. Ou seja, a escolha é feita com base no tipo de produto, bem como nas características do negócio e de seus clientes.

Dica: Tipos de caminhão para frete: qual é o ideal para sua carga?

Se o empreendimento atua com mercadorias de baixo valor agregado, pequenos volumes, múltiplas entregas e a sua clientela é o consumidor final, o mais indicado é o CIF. Porém, se a companhia vende para outras empresas e não pode sofrer o risco de desabastecimento de matérias-primas, por exemplo, o FOB é a melhor escolha.

Algumas organizações podem optar pelas duas categorias e, nessas situações, utiliza-se o critério de escolha conforme as particularidades de cada um. Isso também é usado para criar diferenciais competitivos no mercado comercial.

No nosso país, o INCOTERM mais comum é o CIF, pois ele traz algumas vantagens tentadoras. Veja abaixo:

Para o vendedor:

  • transmite maior segurança ao cliente;

  • entregas podem ser acompanhadas por rastreio;

  • simplifica o processo de compra para o consumidor;

  • oferece um serviço de qualidade e pode elevar a satisfação do cliente.

Para o cliente:

  • menos burocracia na hora de comprar;

  • não necessita de equipe logística para controlar os recebimentos;

  • custos menores pela dispensa de gerenciamentos logísticos;

  • segurança no recebimento do produto;

  • qualquer atraso ou problema é resolvido pelo vendedor.

Por que o monitoramento de fretes é um desafio?

Fazer uso do rastreamento é essencial para manter as mercadorias seguras durante o trajeto e deixar os compradores informados sobre sua movimentação — especialmente quando se refere à malha rodoviária brasileira, que constitui a maioria dos transportes de cargas.

Dica: Quer economizar no transporte de carga? Saiba quais custos podem ser reduzidos

Ainda que o frete CIF não ofereça obrigatoriamente o acompanhamento durante o trajeto (ficando a cargo do comprador), isso muda quando se trata de consumidores de lojas virtuais (e-commerce), que têm o hábito de solicitar os números de rastreio para monitorar suas encomendas.

Manter o público ciente de todo o processo — e resolver problemas com antecedência — é um diferencial que tem colocado alguns varejos virtuais em destaque, fidelizando compradores já insatisfeitos com os sistemas de entrega. É por isso que incorporar esse recurso é tão importante hoje em dia.

Em caso de transportadoras próprias e alguns caminhoneiros autônomos, a utilização de um programa de gestão de transporte é essencial para administrar todo esse processo. Além de acompanhar o trajeto, a ferramenta também gera relatórios completos das entregas.

Focar na resolução de ocorrências é fundamental para que as empresas envolvidas evitem problemas com as entregas. Uma conduta bastante comum entre as partes é prever e notificar com antecedência os clientes sobre imprevistos (eventualidades) como atraso, furto ou perda de encomendas.

Além de demonstrar franqueza e cuidado com o pedido do consumidor, essa conduta reduz o número de reclamações. Estar atento às ocorrências que podem comprometer o frete é fundamental para o sucesso da operação.

Para entender ainda mais sobre frete e as estratégias para lucrar mais, confira no banner abaixo!

Conheça as estratégias para conseguir frete com lucro

No final deste post, você deve estar se perguntando por que saber sobre as diferenças entre frete CIF e frete FOB, não é mesmo? A resposta é simples: para aumentar sua reputação como caminhoneiro autônomo. Afinal, quem contrata esses fretes deseja que suas mercadorias cheguem em perfeito estado e segurança, o que beneficia todos os envolvidos no processo.

Esperamos que este texto tenha ajudado você a compreender um pouco mais sobre as burocracias do sistema de transporte de cargas para avaliar suas propostas de frete.

Aproveite esta oportunidade e siga nossas redes sociais para ficar por dentro de novidades sobre gestão de fretes e vida de caminhoneiro. Estamos no Facebook e no Instagram!




Por
07/05/2019

A Rodojacto nasceu em 1969 e, atualmente, atua no segmento de transporte rodoviário de cargas, dividindo-o em duas áreas: a de carga comum e a de carga especial — mercadorias que excedem pesos e medidas.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!