Assine nossa newsletter

Outubro Rosa nas estradas: como as caminhoneiras podem se proteger do câncer de mama


Outubro Rosa nas estradas: como as caminhoneiras podem se proteger do câncer de mama

Você já deve ter notado que, todos os anos, no mês de outubro, diversas marcas e redes sociais alteram o seu logotipo para rosa e incluem um pequeno laço da mesma cor ao lado. Isso é por causa do movimento mundial “Outubro Rosa”, que tem o intuito de chamar a atenção para a realidade do câncer de mama no mundo, assim como a importância de diagnosticar e tratar a doença precocemente.

O ideal seria que essa causa fosse abordada o ano todo, porém, o fato de haver um mês específico dedicado ao tema já o torna vital para a conscientização das mulheres nos quatro cantos do planeta.

Para saber como as caminhoneiras devem se proteger do câncer de mama, criamos este post. Nele, você vai conferir conceitos, dicas e recomendações sobre o assunto. Acompanhe!

Afinal, o que é e como surgiu o Outubro Rosa?

O movimento começou na última década do século 20, nos Estados Unidos, quando a Fundação Susan G. Komen for the Cure (a principal organização na luta de combate ao câncer de mama) promoveu uma maratona de rua em Nova Iorque. 

O objetivo desse evento era concentrar o maior número de participantes para esclarecer a população sobre os perigos da doença. Na corrida, foi apresentado o famoso laço cor-de-rosa, que foi oferecido a todos os participantes, tornando-se, assim, o emblema oficial do movimento.

Décadas depois, mais precisamente a partir de 1997, as cidades americanas ficavam enfeitadas com laços rosas, especialmente em ambientes públicos, durante as maratonas. Com o evento se tornando mais popular, as autoridades passaram a iluminar pontes e monumentos com o objetivo de disseminar o Outubro Rosa para o mundo.

Dica: Veja os desafios que as mulheres caminhoneiras enfrentam

E no Brasil?

A primeira iniciativa brasileira sobre o tema ocorreu em 2002, com a iluminação do Obelisco do Ibirapuera, que ficou destacado pela cor rosa. Isso aconteceu graças a um grupo de mulheres que receberam o apoio de uma conceituada empresa de cosméticos europeia.

Após essa conquista, seis anos depois, o movimento começou a se espalhar pelo país. Em 2008, diversos institutos e organizações financiaram a iluminação de monumentos em determinadas metrópoles brasileiras, como Brasília, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Teresina, entre muitas outras cidades.

Esse foi um marco histórico na luta contra o câncer de mama, pois o cartão postal mais importante do Brasil, o Cristo Redentor ficou rosa, em apoio à causa.

Nos anos seguintes, as ações sobre o Outubro Rosa se espalharam em todas as partes do país, levando conhecimento e informação da doença de norte a sul, o que expandiu os propósitos da campanha.

Quais são os principais sintomas da doença?

Felizmente, o organismo feminino emite diversos sinais que podem indicar o câncer de mama. Basta prestar atenção nos seguintes sintomas:

  • alteração de forma ou tamanho da mama;

  • calombos no braço;

  • caroços na mama que não diminuem de tamanho;

  • coceira nos mamilos;

  • corrimento mamário;

  • dor nas axilas;

  • inchaço de toda ou parte de uma mama;

  • inversão dos mamilos.

Esses são somente alguns indícios, que podem variar de mulher para mulher. O ideal é conversar com um ginecologista para que ele avalie todos os sintomas com propriedade.

Veja neste conteúdo as estratégias para fazer frete com lucro!

Conheça as estratégias para conseguir frete com lucro

Como prevenir o câncer de mama?

Muitas pessoas acham que a melhor forma de prevenir a doença é por meio do autoexame (explicaremos como fazê-lo a seguir) e da mamografia. E ainda que sejam as formas mais indicadas de fazer o diagnóstico, existem outros fatores que as mulheres devem verificar, conforme a idade avança.

Evitar o ganho de peso

A redução de gordura corporal é muito importante, especialmente após a menopausa, pois a obesidade eleva a probabilidade de o organismo desenvolver câncer de mama. Isso acontece porque a condição altera o metabolismo e o nível hormonal de grande parte das mulheres.

Ter uma alimentação saudável

O assunto alimentação é bastante clichê, pois escutamos isso sempre quando buscamos uma vida saudável e livre de doenças, mas, no caso do tumor mamário, ele é de extrema importância, já que dietas ricas em vitaminas A e D previnem a manifestação desse tipo de câncer.

Alimentos com vitamina A:

  • óleo de fígado de bacalhau;

  • queijo cottage;

  • manteiga com sal;

  • cenoura crua;

  • batata-doce;

  • espinafre;

  • manga;

  • pimentão.

Alimentos com vitamina D:

  • atum e salmão (peixes gordurosos);

  • cereais enriquecidos;

  • cogumelos irradiados (cultivados no sol);

  • gema de ovo;

  • iogurte natural.

Dica: Alimentação na estrada: 5 dicas para cozinhar no caminhão

Praticar atividade física

Exercitar o corpo é essencial para ter disposição e evitar diversas enfermidades, em qualquer situação. O exercício físico aliado à hidratação constante fortalece o organismo e ajuda a produzir hormônios relacionados ao bem-estar. Como resultado, essa sensação de estar bem consigo mesmo diminui as chances de doenças, inclusive da manifestação do câncer de mama.

Portanto, sair da cabine do caminhão nos intervalos para fazer atividades físicas é uma atitude louvável para quem deseja ter uma vida livre de complicações.

Evitar consumo de álcool

O álcool está associado a mais de 200 tipos de enfermidades, entre doenças cardiovasculares, digestivas, hepáticas, mentais e mamárias. Diminuir o consumo é a melhor saída para evitar esses problemas, mas a escolha mais sábia é não beber.

Amamentação

A amamentação é um fator protetor para as mulheres. Se ela for feita por, no mínimo, dois anos, a probabilidade de desenvolvimento de câncer de mama diminui drasticamente. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), isso ocorre porque o organismo reduz a produção de hormônios relacionados à doença durante o período de aleitamento.

Como a caminhoneira pode cuidar da saúde enquanto está na estrada?

Quase todas as orientações mencionadas acima podem ser praticadas na rotina de trabalho das caminhoneiras. No entanto, existem outras que podem ser transformadas em hábito, onde quer que essas mulheres estejam. Tome nota!

Evitar o estresse

Estresse gera ansiedade, que, dependendo da intensidade, pode levar à depressão. Essa condição mental diminui o nível de defesa do corpo e aumenta as chances de desenvolvimento de tumores mamários.

Logo, a melhor saída para aliviar as tensões vivenciadas na estrada é evitando pensamentos negativos. Além disso, preservar otimismo e bom humor durante as viagens é a melhor saída para garantir a saúde do corpo e da mente.

Fazer o autoexame

As caminhoneiras precisam desenvolver o hábito de se autoexaminar para saber se está tudo bem. O procedimento é simples, basta seguir alguns passos:

  1. Ficar em frente ao espelho e observar os mamilos e o contorno das mamas;

  2. Erguer os braços e ver se o movimento muda a superfície das mamas;

  3. Deitar-se e, com a mão esquerda, examinar a mama direita realizando movimentos circulares com a ponta dos dedos. Repetir o movimento para o outro lado, com a mão direita.

Também é possível fazer o autoexame durante o banho, pois, com a pele molhada, é mais fácil de detectar algo. Caso alguma alteração seja encontrada, a pessoa precisará marcar uma consulta para fazer o exame clínico seguido de uma mamografia.

Esperamos que este post sobre Outubro Rosa tenha ajudado você a compreender melhor esse movimento de conscientização mundial. Ao disseminar a campanha para mais pessoas, os índices da doença certamente diminuirão com o tempo.

Se você achou este conteúdo útil, compartilhe-o com suas colegas caminhoneiras, nas suas redes sociais. Assim, elas saberão um pouco mais sobre a importância do Outubro Rosa para a prevenção do câncer de mama!

Confira como é possível fazer seu frete com lucro utilizando algumas estratégias!

Conheça as estratégias para conseguir frete com lucro




Por
04/10/2019

A Rodojacto nasceu em 1969 e, atualmente, atua no segmento de transporte rodoviário de cargas, dividindo-o em duas áreas: a de carga comum e a de carga especial — mercadorias que excedem pesos e medidas.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!